Quais os melhores tipos de papel para criar um desenho arquitetônico?

Se você é um estudante de arquitetura ou um arquiteto recém-formado, talvez ainda tenha algumas dúvidas sobre como diferenciar e usar com propriedade os diversos tipos de papel disponíveis no mercado para desenho técnico.

O uso do papel adequado é fundamental para o bom desempenho do trabalho. Neste post vamos apresentar características e vantagens dos 4 melhores tipos de papel para desenho arquitetônico: papel vegetal, papel manteiga, papel sulfite e papel do tipo Canson. Confira!

1. Papel vegetal

O papel vegetal é semitransparente, muito semelhante ao papel manteiga, porém mais espesso. Pode ser encontrado em blocos, folhas avulsas (em vários formatos) ou em rolo.

Possui grande resistência ao tempo, permitindo, ainda, raspagens e correções. Não deve ser dobrado, já que as dobras deixam marcas que prejudicam cópias.

Esse tipo de papel é ideal para o projeto executivo, que é a fase final do projeto, contendo detalhes construtivos, especificações de materiais e de acabamento.

2. Papel manteiga

Também conhecido como papel sulfurize ou papel croqui, o papel manteiga é ideal para esboços manuais/croquis, que são os primeiros traços do seu projeto. Ele também é usado na construção de plantas, por permitir a visualização sobreposta de desenhos.

Parece com o papel vegetal, sendo um pouco mais fino. Conta com boa transparência e também é disponibilizado em blocos, folhas avulsas (em vários formatos) ou rolo.

Aceita bem o nanquim, os lápis HB até o F e o hidrocor, mas não aceita aquarela. Por ser um papel fino, não permite correções no desenho feito a nanquim.

Como apresenta propriedades antiaderentes, também é muito utilizado na culinária.

3. Papel sulfite

O papel sulfite (papel apergaminhado ou papel Off-Set) é o papel branco comum, utilizado em impressoras. Seu nome (sulfite) se dá em função da adição do sulfito de sódio na sua fabricação.

É opaco e pode apresentar diversas cores e tamanhos. A folha A4 branca é a mais comum e conhecida. Assim como o papel vegetal, é usado para o projeto executivo.

Disponível em blocos, em resmas e em folhas avulsas, o papel sulfite pode ser encontrado em diferentes gramaturas, que variam entre 50 a 160g/m².

4. Papel do tipo Canson

O papel do tipo Canson costuma ser usado no anteprojeto (desenho de apresentação para apreciação pelo cliente), pois possibilita a utilização de cores.

Fundada em 1557, a Canson é uma companhia francesa que possui quase 500 anos de tradição e experiência na produção de papel de desenho do mais alto nível de qualidade e para diversas técnicas artísticas.

Ao adquirir essa enorme bagagem de conhecimento, no decorrer de tantos séculos atuando nesse ramo, a Canson revolucionou a forma como o papel é desenvolvido. Durante a fabricação, a empresa aplica aos produtos um procedimento próprio para branquear o papel, que o deixa livre de substâncias tóxicas e nocivas à saúde do ser humano.

Essa metodologia também impede o amarelamento das folhas e reforça sua durabilidade. O resultado é um papel branco natural com textura levemente granulada, tratado contra bactérias e fungos, de pH neutro e constituído apenas por fibras de madeira.

Disponível em blocos ou em folhas avulsas, o papel Canson é fabricado em diferentes gramaturas, que variam entre 140 e 200g/m². Assim, percebe-se que suas folhas são predominantemente mais grossas do que as de papel sulfite (nosso tipo mais conhecido).

Lembre-se de investir nos materiais adequados, mas não se preocupe: é possível achar produtos de qualidade por bons preços, basta buscar por uma loja de confiança e tradição no mercado.

Agora que você já está bem informado sobre os tipos de papel para desenho arquitetônico, que tal saber um pouco mais sobre as etapas essenciais para começar um projeto de arquitetura?

Você pode gostar de...

1 Resposta

  1. Alicya disse:

    Esse site e muito bom me ajudou a saber as folhas certas para fazer desenhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *