Tendência: tudo o que você precisa saber sobre o Patchwork!

Você já imaginou usar os retalhos que seriam jogados fora para criar uma colcha, uma almofada e outros itens de decoração? E já ouviu falar sobre o patchwork? Trata-se de uma técnica de emendar tecidos para ilustrar pessoas, animais, objetos e o que mais a imaginação mandar.

Leia este post e descubra uma maneira simples e econômica para oferecer o melhor aos clientes que confiam no seu trabalho!

O poder do patchwork

Caso você não saiba, essa técnica nada mais é que um trabalho com retalhos e é composta por 3 camadas:

  • tampo: camada em que os retalhos são costurados entre si;
  • enchimento: camada com um material para dar volume ao produto;
  • forro: camada que possui um tecido especial para dar um acabamento à peça.

Juntas, essas 3 camadas formam uma espécie de sanduíche de tecidos com várias cores e formas.

Vale ressaltar que todas as camadas são presas por pespontos — também chamados de quilts. Conheça, a seguir, os 2 tipos de quilt mais comuns:

O quilt à mão

Caso esse tipo de quilt seja escolhido, use linhas especiais para quiltar a arte no tom do tecido ou, então, em cores contrastantes.

Após escolher o material, dê um nó na ponta da linha e passe-a pela 1ª camada do patchwork. Já com a linha no centro do sanduíche de tecidos, costure as 3 camadas com pontos de alinhavo regulares e pequenos, quiltando sempre do centro da arte para as bordas.

Para finalizar, basta voltar a agulha cerca de 4 ou 5 pontos e esconder a linha entre o enchimento e o forro. Viu só como é mais simples do que parece?

O quilt à máquina

Não pense que você não poderá trabalhar com patchworks só porque não sabe manusear linhas e agulhas. Existem pés de máquinas que facilitam (e muito) essa alternativa de artesanato.

O modelo mais usado para o quilt reto é o walking foot; já para o quilt livre, o big foot. Você só precisa definir qual é a sua escolha e determinar, então, as linhas, o traçado e o espaçamento do trabalho.

Os materiais

É claro que os resultados serão melhores com bons materiais. Por isso, fique atento aos melhores itens:

  • cortador circular: o ideal é começar com um cortador que tenha uma lâmina de 45 milímetros, pois é sinônimo de mais agilidade e precisão no corte. Lembre-se de que é preciso ter cuidado ao manusear esse aparelho tão afiado;
  • base para corte: essa placa é optativa, mas muito útil para quem ainda não possui experiência. As suas marcações são perfeitas para quem gosta de exatidão;
  • régua para patchwork: dê preferência às réguas com ângulos e medidas visíveis;
  • tecidos: o recomendável é escolher tecidos de algodão para garantir a qualidade e a estabilidade do trabalho;
  • linhas: também devem ser de algodão;
  • agulhas e alfinetes: o mais indicado são alfinetes longos;
  • lápis e canetas: quem consegue seguir traços sem marcações? Use-os para auxiliar na orientação;
  • tesouras;
  • faz-pompom e ferramentas para molde de fuxico: opção é o que não falta, então escolha a que mais te agrada;
  • adesivo termocolante e entretela: ótimos para personalizar as suas peças;
  • ferro de passar.

Viu só como é preciso de pouco para renovar e criar por meio do patchwork? Assine a nossa newsletter, siga nossa página no Facebook e confira mais dicas!

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *