Quem foi Athos Bulcão?

Pintor, escultor e desenhista, Athos Bulcão tornou-se conhecido por suas obras realizadas em azulejos, nas quais destacam-se a modulação e o grafismo com base nas formas geométricas. Seus trabalhos foram aplicados a prédios públicos em pontos turísticos espalhados por todo Brasil. Entre os mais famosos estão a Igrejinha Nossa Senhora de Fátima, as paredes do Congresso Nacional e o Aeroporto Juscelino Kubitschek, todos localizados na cidade de Brasília.

Suas obras criadas em azulejo, concreto, madeira policromada e outras técnicas “são apenas uma amostra da prolífica produção do pupilo de Portinari, que sonhou em tornar acessível seu trabalho ao público em geral, e não apenas aos frequentadores de galerias.”, segundo reportagem do El País.

De acordo com a mesma reportagem, Athos Bulcão declarou que: “Artista eu era. Pioneiro eu fiz-me. Devo a Brasília esse sofrido privilégio. Realmente um privilégio: ser pioneiro. Dureza que gera espírito. Um prêmio moral”.

Nascimento e vida

Nascido em 1918, no bairro do Catete no Rio, Bulcão foi criado pelo seu pai —amigo e sócio de Monteiro Lobato— em Teresópolis. Em 1939, ele abandonou os estudos em medicina para dedicar-se à pintura.

No ano de 1944, realiza a primeira mostra na inauguração da sede do Instituto dos Arquitetos do Brasil. Depois, ingressou no Serviço de Documentação do Ministério da Educação onde fez ilustração de catálogos e livros, entre eles o “Encontro Marcado” e “A Cidade Vazia”, do mineiro Fernando Sabino. Bulcão também desenhou capas de revistas como “Brasil Arquitetura” e “Módulos de Arquitetura”.

Em 1952,  passou a recortar imagens fotográficas de origens diversas e montou novos conjuntos por ele fotografados. Suas fotomontagens surpreendem pela lógica que surgem das imagens associadas. A partir de 1955, Bulcão passou a trabalhar com o arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012) e,  em 1957, integrou o grupo responsável pela decoração de Brasília. No ano seguinte, ele se mudou para Brasília, onde morou até o final da sua vida.

Além do Brasil, Bulcão também realizou trabalhos em Cabo Verde, França, Argélia, Itália e Argentina. Durante a vida, foi amigo de modernistas como Burle Marx, Jorge Amado, Vinícius de Moraes, Ceschiatti e Manuel Bandeira. Também trabalhou com Cândido Portinari, no painel de São Francisco de Assis da Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte.

Cine Brasília

Cine Brasília

Fundação Athos Bulcão

Criada em 18 de dezembro de 1992, a fundação Athos Bulcão é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, criada para preservar e divulgar a obra do artista plástico. Ela desenvolve diversos projetos visando contribuir com a formação de crianças, jovens e adultos, além de tornar a educação, a arte e bens culturais acessíveis a toda a comunidade, assim como as obras do próprio artista. No portal da fundação pode você conferir diversas obras.

Igreja Nossa Senhora de Fátima

Igreja Nossa Senhora de Fátima

Morte

Athos Bulcão faleceu aos 90 anos de idade no Hospital Sarah Kubitschek da Asa Sul, em Brasília, devido a complicações de Parkinson. No dia 2 de agosto ele completaria 100 anos e, em sua homenagem, o Google lançou um Doodle no qual aparecem as formas dos famosos azulejos do artista carioca.

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *