A arte de mãos dadas com a arquitetura: Urban Sketcher Brasil

A arte e arquitetura sempre andaram de mãos dadas, afinal a primeira é o resultado da hibridação de outras artes. Engana-se quem pensa que a aura da arte morreu no século passado. Nos últimos 20 anos, muitos movimentos bacana surgiram. Sem dúvidas o Urban Sketcher é um deles. 

A origem do Urban Sketcher

O Urban Sketcher é um coletivo de desenhos sem fins lucrativos, que foi fundado pelo jornalista espanhol Gabriel Campanario em 2006, ou seja, muito antes do Instagram, Flickr e outras redes sociais voltadas só para imagens surgirem. A ideia era reunir pessoas em um movimento para ver a cidade com outros olhos e desenhá-la com as próprias mãos.

Se duas pessoas estiverem um mesmo lugar, e tirarem fotos ao mesmo tempo, podem obter imagens muito semelhantes. No entanto se essas mesmas pessoas estiverem desenhando, vão obter resultados completamente diferentes.

A principal proposta do Urban Sketcher é levar um grupo de pessoas, geralmente composto por desenhistas amadores e entusiastas a um determinado ponto urbano e deixar que elas desenhem livremente. Diferentemente do Expressionismo ou Rococó esse movimento não tem uma cara só, muito pelo contrário: o Urban Sketcher se orgulha por ser multifacetado.

O Manifesto do Urban Sketcher

Todo novo movimento artístico cria um manifesto, uma espécie de diretrizes internas que orientam as pessoas de fora sobre o que os membros dentro do Urban Sketcher almejam. Essa atitude não é vanguarda, foi assim com o Dadaísmo, Cubismo e outros movimentos vanguardistas. Confira o manifesto do Urban Sketcher:

  1. Desenhamos in situ, no interior e no exterior, captando diretamente o que observamos;
  2. Os nossos desenhos contam a história do que nos rodeia, os lugares onde vivemos e por onde viajamos;
  3. Os nossos desenhos são um registo do tempo e do lugar;
  4. Somos fiéis às cenas que presenciamos;
  5. Usamos qualquer tipo de técnica e valorizamos cada estilo individual;
  6. Apoiamo-nos uns aos outros e desenhamos em grupo;
  7. Partilhamos os nossos desenhos online;
  8. Mostramos o mundo, um desenho de cada vez.

A chegada do Urban Sketcher no Brasil

Mesmo com milhares de pontos urbanos incríveis, o Urban Sketcher só chegou ao Brasil em 2011, apesar da demora, de lá para cá já ocorreram dezenas de projetos em São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro, Ouro Preto, Recife, Curitiba e em 2017 rolou até mesmo uma edição especial do evento envolvendo toda a América latina, que também foi sediado na capital paulista

A arte de rabiscar com os próprios traços não depende de técnicas. Todos temos a capacidade de desenhar, seja com as mãos, pés ou até mesmo com a boca! No Urban Sketcher alguns preferem desenhar, outros preferem aquarelas. O importante é deixar a sua imaginação rolar, misture preto e branco as cores e crie sua imagem única e peculiar.

Quais materiais quem pensa em fazer parte do Urban Sketcher precisa ter?

Os integrantes do movimento afirmam que não é necessário andar com uma bolsa cheia de materiais, a ideia é passar para o papel o que se está vendo. Você pode começar com:

Caso prefira se dedicar a aquarela no Urban Sketcher, você precisará de:

Por onde começar?

Se você não faz idéia de por onde começar, ou quer conhecer fontes de inspiração e dicas para quem está começando não se preocupe, também trouxemos recomendações! Comece observando os desenhos do Canal Peter Sheeler;

Recomendamos também o trabalho de Willkem Partschool, que criou um tutorial completo para iniciantes, dividido em diversos vídeos, nos quais ele ensina passo-a-passo todos os traços clássicos encontrados nesse estilo de desenho.

E você? O que faz com o seu tempo livre? Já pensou em começar a aprender a desenhar junto a um grupo motivador? Que tal procurar e começar a participar ao movimento de Urban Sketcher da sua cidade?

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *