9 técnicas de aquarela para iniciantes

Já falamos aqui no blog sobre a história da tinta aquarela, agora vamos te mostrar modos criativos de como utilizar as suas aquarelas. Para isso, recorremos ao professor de Educação Artística Thiago Spikes, que ensina sobre pintura no canal CrasConversaOficial. Se preferir você também pode optar por conferir o vídeo completo neste link.

Ele explica brevemente sobre a base dessas tintas, que é feita de água e ensina o passo-a-passo sobre como criar técnicas baseadas nessa textura aquosa. Anote a lista de materiais necessários para praticar:

#DicaGrafittiArtes: Algumas pessoas quando estão iniciando suas obras com tintas acreditam que devem aplicar grandes demãos de pigmento aquarela no papel para obter o efeito, mas não se trata disso. Na verdade as obras em aquarelas são como borrões, que surgem como resultados de pinceladas suaves.

Por que não precisa de cavalete?

A pintura com base em tinta aquarela costuma escorrer, por isso é recomendado que sua tela seja utilizada na posição horizontal apoiada em uma mesa, ao invés da tradicional posição vertical suportada por cavaletes.

Prepare o papel!

Antes de começar a testar as técnicas a dica é que você utilize um papel com a gramatura mais alta, pois quando a superfície torna-se úmida tende a envergar, e mesmo utilizando modelos de 240 g/m² ainda é comum que isso prejudique o formato da sua aquarela.

Para evitar o processo de envergadura ocorra você deve colocar fita crepe em todas as pontas do papel, fixando-o à mesa, criando uma espécie de margem, que depois poderá ser removida com cuidado. Dessa maneira:

Fixação da tinta na mesa

Logo após você deve repetir o mesmo processo de fixação da fita crepe para criar pequenas divisórias. Cruze-a em linhas horizontais e verticais formando pequenos quadrados.

Divisórias no papel

Primeira técnica: Misture as tintas!

Abra as embalagens das cores desejadas e deposite no godê, o importante aqui é manter uma divisória entre as cores para que você umedeça o pincel na água sem misturá-las acidentalmente.

Tintas no godê

Você também pode optar por utilizar o pigmento seco para obter mais vividez, contudo o efeito quando misturado à água é único. O próximo passo é justamente aplicar na tela improvisada, com ajuda do pincel chato, pinceladas suaves seguindo a direção horizontal. Criando assim, a primeira camada que deixará o papel molhado e permitirá a fixação das demais camadas.

Posteriormente, basta aplicar mais camadas. Se desejar também é possível mesclar mais de uma cor, criando hibridações entre elas.

Aplicação da primeira camada

 

Resultado após várias camadas seguidas de pigmentos diferentes

Segunda técnica: Deixe escorrer!

Primeiramente, umedeça o papel apenas com água. Depois aplique tinta na parte superior. Embaixo escolha outro pigmento e deixe que as cores se misturem naturalmente. Para retirar o excesso de líquidos basta enxugar o pincel.

Camada na parte superior

 

Gotejado na parte interior

 

Utilizando o pincel para remover o excesso de tinta

Terceira técnica: Subtração!

Faça o mesmo procedimento da primeira técnica, aplicando a tinta em camadas horizontais, a diferença é que agora você irá remover parte da tinta com o auxílio de uma folha de papel toalha.

Utilize o papel toalha para criar efeitos na tinta

Resultado final da subtração de cores

Quarta técnica: Desidratação!

Você já ouviu falar sobre a tinta têmpera? Pois essa será uma tinta temperada, e com bastante sal! O sal pode ser utilizado para “sugar a água” deixando um efeito granulado:

Aplicação de sal na tela

Quinta técnica: Rastros para uma aquarela mais sequinha!

Essa técnica envolve utilizar a tinta de forma mais seca, para isso será necessário trocar também o pincel, pegue o pincel chanfrado e aplique delicadamente linhas verticais, isso criará o efeito de rastros.

Pincel chanfrado

Aplicação em linhas verticais

Sexta técnica: Máscara!

Utilize a vela para fazer desenhos, depois pinte sobre o local. A camada de cêra impedirá que o pigmento seja fixado no papel, criando pequenos vãos entre a tinta e a superfície.

Aplicação em vela sob o papel

Resultado final

Sétima técnica: Sulcos!

Utilize o estilete para fazer cortes (ou sulcos), fique atento não cortar o papel, mas sim para raspá-lo e mostra como posicioná-lo adequadamente. Depois basta aplicar a tinta por cima da superfície sulcada com ajuda do pincel chato.

 

Utilize como lápis para desenhar o que quiser

Resultado final da tinta aplicada ao corte será este

Oitava técnica: Solvente!

Aplique uma camada de tinta no papel, depois jogue um pouco de álcool sob a superfície pintada com o auxílio de um conta gotas, criando assim um efeito solvente.

Efeito solvente

Nona técnica: Esguicho!

Aplique uma camada para servir de base, depois utilize os dedos sobre as cerdas da escova de dentes para esguichar pingos de tinta sobre aquarela.

Esguichando a tinta

Dica extra para tirar a fita adesiva

Depois que se sentir satisfeito com os resultados você pode remover a fita, retirando o excesso de borrões das bordas. Para removê-la com mais segurança a dica do Thiago é puxar por cima do papel, na vertical:

Removendo a fita

Resultado final

Gostou do artigo? Tente praticar em casa, depois exponha o resultado em suas redes sociais e deixe para gente aqui nos comentários. Ah, e não esqueça: Se precisar de materiais para criar aquarelas visite nossa loja virtual.

Você pode gostar de...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *